Webhook: o que é e como funciona na prática

Webhook: o que é e como funciona na prática
Webhook
·
2022-05-10
·
3 min. leitura
eye

Webhook é um termo que está ganhando cada vez mais popularidade. Com o avanço tecnológico, esse recurso vem sendo amplamente aplicado, dado a sua utilidade.

Para quem (ainda) não sabe o que é webhook, vamos esclarecer o conceito, sua funcionalidade e as vantagens de utilização. Vamos lá?

O que é webhook?

O webhook (também conhecido como retorno de chamada web ou impulso API) é um recurso utilizado para compartilhar informações entre dois sistemas de forma passiva. Ou seja, viabiliza a troca de dados sem a necessidade de qualquer intervenção externa.

Ele permite que uma ferramenta da web se comunique com outra, sempre em tempo real, quando determinado tipo de evento ocorrer. Não existem intervalos de verificação, tudo é instantâneo — o que, de fato, torna o recurso muito eficiente tanto para o prestador de serviço, como para o consumidor.

Como o webhook funciona?

A lógica de funcionamento dos webhooks não tem mistério. Para que as informações possam transitar entre duas ferramentas ou sistemas, é acionado um “aviso” de que uma ação ocorreu. Esse alerta atua para ativar o envio de dados para uma URL de destino. Para que os dados possam ser transferidos com sucesso, dois formatos são possíveis de serem utilizados: o XML e o JSON.

O formato de XML é uma construção simples que permite o compartilhamento de dados e informações entre ferramentas web, possibilitando reutilizar o código com objetivos diferentes em algum outro sistema. Já o JSON (JavaScript Object Notation) é um formato bem otimizado e menos pesado de troca de dados entre aplicações. É comum que os softwares web forneçam uma documentação pronta de JSON (ou XML).

Qual a diferença entre API e Webhook?

Assim como os webhooks, as  APIs (Interface de Programação de Aplicativos) facilitam a sincronização e retransmissão de dados entre duas aplicações. No entanto, ambos têm meios diferentes de fazê-lo e, portanto, servem objetivos ligeiramente diferentes.

API é a porta de acesso para extração de dados do sistema. O cliente consome a API do servidor diretamente através de requisições HTTP. A conexão é mantida para que as informações transitem constantemente, em períodos de tempo determinados pelo usuário.

Nesse caso, os dados estão “amarrados” e preestipulados nas duas pontas. Ou seja, uma determinada ação e um software específico vão gerar uma outra ação já definida em outro sistema também escolhido previamente.

Já o webhook consiste em uma permissão do software para obtenção dos dados, sem que haja a concessão de acesso ao sistema. Portanto, o cliente deve aguardar as requisições HTTP realizadas. Aqui, a ativação acontece diante da ocorrência de um evento específico e os dados são fornecidos em tempo real.

Vale destacar que, com o webhook, o usuário é quem definirá os dados que serão enviados para o sistema de destino. Cabe a ele decidir qual será o gatilho que desencadeará todo o processo automatizado e a troca de informações.

De forma geral, é possível dizer que uma API atua conforme solicitado, enquanto um webhook opera por conta própria quando determinados critérios são cumpridos ou os cenários ocorrem.

Como os webhooks podem ser utilizados?

Quem trabalha com negócios online sabe que é preciso estar sempre atento aos processos e seus detalhes — que na maioria das vezes são muitos e diversos! Imagine, por exemplo, uma empresa que recebe diversos pedidos de orçamentos. Nesse caso, será preciso registrar todos os contatos em uma planilha ou sistema de vendas para que a equipe comercial visualize e atue. Trabalhoso, não é mesmo?

Os funcionários devem proativamente verificar a entrada dos pedidos e, manualmente, fazer a transferências dos dados e informações para outro sistema, seja ele qual for. O problema é que, assim, existirão muitas possibilidades de erro, o trabalho não será produtivo e haverá um grande delay no tempo de resposta ao cliente.

Com webhooks, por outro lado, a informação é enviada de forma automática. Esse é um grande benefício trazido pelas automatizações de processos nas empresas. Cada segundo que antes era dedicado à realização de tarefas manuais e repetidas passa a ser destinado a uma atuação a nível estratégico.

Qual a importância do webhook?

Como explicamos, o webhook é utilizado para automatizar tarefas, a fim de otimizar a rotina de trabalho. Ele é especialmente útil para quem deseja ter mais liberdade para definir exatamente o tipo de integração que deseja realizar entre sistemas.

De forma geral, sua importância está associada à maior autonomia, aumento da produtividade e possibilidade de enfoque em tarefas mais complexas relacionadas ao core business da empresa. Basta entender e direcionar o que de fato é preciso e desejável integrar e automatizar nos processos do negócio.

Como a Albato pode ajudar seu negócio?

Aqui na Albato você encontra disponível para utilização toda uma robusta estrutura apta para receber dados de webhooks e transmitir informações para diversos aplicativos.

Já temos mais de 400 serviços integrados e realizamos novos lançamentos mensalmente, a fim de atender a necessidade de todos os nossos clientes e as demandas do mercado. Contamos, também, com o recurso Integrador de Apps, que permite a inclusão de conexões ainda não contempladas.

Todas as automações podem ser realizadas em poucos cliques, de forma simples, rápida e, principalmente, sem o uso de programação.

Nossa missão é ajudar você a automatizar tarefas operacionais para se dedicar ao que realmente importa e impulsionar o crescimento da sua empresa. Vamos dar o primeiro passo? Veja o tutorial de como criar integrações na plataforma da Albato usando o método de webhooks!


Webhook